Eu gosto de ouvir e muito mais de ser ouvida!

Esse é mais ou menos o lema do mundo virtual, ouvir e ser ouvido, falar, transmitir pensamentos, idéias, críticas e opiniões.

Num mundo onde as pessoas se contentam cada vez menos em apenas ficarem estagnadas absorvendo tudo o que lhe dizem e tendo que concordar, surgiu o universo virtual, onde ninguém é dono de nada, ninguém manda em nada, todos nós podemos ler o que nos interessa e ver diversos pontos de vista (que muitas vezes nem perceberíamos), e podemos também emitir nossas opiniões e fazer com que o mundo fique sabendo dos nossos pensamentos. Pois todos nós sabemos que o modo de pensar do mundo foi influenciado por grandes pensadores, que passavam para nós o seu ver sobre o mundo, e essa opinião acabou se massificando (haha, as aulas de psicologia dão nisso).

 

Tudo começou quando a Internet veio aqui pro Brasil, por volta de 1995, e as pessoas começaram a criar suas “home pages pessoais” onde tinham um espaço para escrever, mas muitas vezes nem sabiam o que.

Mais tarde surgiram os blogs, onde as pessoas podem escolher um conteúdo que lhes chame a atenção e seja interessante, e assim e falar sobre ele em seu blog. Os blogs têm como “proposta” terem seu conteúdo atualizado sempre, conseguindo então cada vez mais leitores e seguidores.

O esquema é entrar na rede, estar sempre conectado, escrever coisas inteligentes e que chame a atenção das pessoas, para que cada vez mais se interessem por aquilo que você tem a dizer, fazendo com que você, siiim, “vocêzinho”, se torne um formador de opinião. Pessoas que antes eram desconhecidas, hoje se tornaram públicas graças ao conteúdo que postam em seus blogs, e pessoas que já têm uma profissão e trabalho definidos, podem reforçar seu trabalho com o blog, mostrando seus maiores talentos e valorizando-se pessoalmente (o que pode melhorar ainda mais sua atuação profissional).

As pessoas passaram a ser mais conhecidas pelos colegas virtuais, do que pelos amigos do dia-a-dia, pois quem acompanha o que é dito em um blog passa a conhecer muito bem o jeito da outra pessoa ser, e aprende sobre suas preferências, gostos, jeitos, etc.

Mas se tornar popular não é apenas coisa de blog, na-na-ni-na-nããão…

A partir de 2004 começaram a surgir redes sociais como Orkut, MySpace, Fotolog, Twitter, Blip.fm (e outros), onde o objetivo principal é criar um perfil e colocar o máximo de informações pessoais que for conveniente à pessoa, o que de certo causou um pouco de estranhamento no começo, pois perde um pouco daquela magia de conhecer melhor as pessoas para aprender mais sobre elas. O limite entre o público e o privado mudou muito, hoje em dia se valora a auto-exposição, onde cada vez mais pessoas estranhas sabem tudo sobre a gente.

E aproveitando toda essa interatividade surge a publicidade, que procura cada vez mais estreitar relações com o consumidor e deixar registrada a marca na mente das pessoas, promovendo ações que as pessoas não esquecem. O que eu acho muito legal, pois ações interativas são bem mais animadoras que simples propagandas normais, que apenas passam uma idéia. As interativas fazem com que muito mais pessoas possam interagir com o produto e passem a querer consumi-lo ela gera uma curiosidade no consumidor.

Gosto muito desse tipo de ação, pois com certeza desperta um grande interesse sobre a marca e o produto apresentados e pelo menos num primeiro momento com certeza fazem as vendas aumentarem (se a ação não for uma furada! Hahaha)

Categorias: Posts sobre as aulas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s